segunda-feira, 13 de maio de 2013

TRANSPORTES NO BRASIL




-O termo transporte, de modo geral, significa : ação ou o efeito de levar pessoas ou bens de um lugar a outro.

-É notório que em um mundo cada vez mais globalizado, o sistema de transportes é vital para o comércio interno e externo, a fixação dos custos de bens e serviços, a composição dos preços, a regularização dos mercados etc.


-Até a primeira metade do século passado, nossa economia era baseada na exportação de produtos primários, e com isso o sistema de transportes
limitou-se aos transportes fluvial e ferroviário. A partir do governo JK, nosso país voltou-se ao transporte rodoviário, e com ele surgiram inúmeras mazelas.


- A partir da aceleração do processo industrial na segunda metade do século XX,principalmente a partir do governo JK,  a política concentrou os recursos no setor rodoviário, com prejuízo para as ferrovias, especialmente na área da indústria pesada e extração mineral.Como resultado, o setor rodoviário,o mais caro depois do aéreo,movimentava no final do século mais de sessenta por cento das cargas.


Nossa Matriz de Transportes 


Compare nossa matriz de transportes em 2004, com a matriz dos EUA no mesmo período:



CONSEQUÊNCIAS GERAIS DE NOSSA MATRIZ DE TRANSPORTES:

Transporte Rodoviário

- Devido a uma matriz de transporte predominantemente voltada ao rodoviarismo, nosso país vem acarretando grandes limitações para o crescimento e expansão de nossa economia.Essa deterioração está fundamentada nos investimentos insuficientes em infra-estrutura, pelo menos nas duas últimas décadas. Hoje, são necessárias providências imediatas, pois com o bom desempenho do mercado de cargas pesadas que país vem tendo, é notória a necessidade urgente de se investir no transporte aéreo, nas rodovias, ferrovias e hidrovias.



- Infelizmente o nosso a quadro atual da estrutura de transportes vem apresentado importantes limitações à expansão e ao crescimento econômico brasileiro, porém, essa situação não é atual, e a há vários anos o transporte de cargas brasileiro vem apresentando sintomas que apontam para graves problemas de deterioração, decorrentes da falta de investimentos, pelo menos nas duas últimas décadas. Os problemas estruturais comprometem a eficiência operacional, tornando-se um entrave ao desenvolvimento econômico e social do Brasil.


- Esse caos em nosso sistema de transporte acaba levando ao desperdício de bilhões de reais, devido aos acidentes, aos roubos de carga, á ineficiências operacionais e energéticas. Como pilares do caos, no setor de transporte, estão as enormes deficiências de regulação, as políticas governamentais de investimento e, também, a distorção da matriz de transporte, acarretando em significativa perda econômica e de competitividade e consequente reflexo no custo Brasil.


-É importante que destaquemos que o uso inadequado dos modais gerou uma enorme dependência do modal rodoviário, que acaba suprindo lacunas dos demais modais, porém apresenta um frota ultrapassada e as rodovias em condições precárias. A malha ferroviária existente, em boa parte construída no início do século passado, sofre resquícios de falhas no processo da recente privatização que a impede de impulsos maiores. A participação dos modais hidroviário e aéreo é praticamente inexistente. 

-Nunca podemos deixar de entender que o sistema de transporte é essencial para a movimentação da economia de um país. Sem este sistema os produtos não chegariam até seus consumidores, as indústrias não teriam acesso as matérias-primas e nem teriam condições de escoar sua produção. É um setor totalmente horizontalizado viabilizando todos os outros setores da economia.

-A situação brasileira atual da matriz de transportes de cargas acarreta perda de competitividade para as empresas nacionais, uma vez que a ineficiência dos modais gera um elevado Custo País, se tornando um fator limitante para o desenvolvimento regional e internacional do Brasil.

-A falta de um planejamento e de investimentos do setor de transporte nacional, implica numa incapacidade de acompanhar a demanda nacional podendo gerar um colapso deste sistema. Alguns fatores deste risco já podem ser percebidos como uma frota de caminhões e locomotivas antigas tendo uma idade média, respectivamente, de 19 e 25 anos, a grande maioria das rodovias em condições péssima, pouca disponibilidade de infra-estrutura ferroviária e o sistema aéreo e hidroviário tendo baixa participação.

-Uma das principais causas da ineficiência da matriz de transportes de carga brasileira está baseada no uso inadequado dos modais. Existe uma sobrecarga no transporte rodoviário, figura abaixo, em função dos baixos preços de frete, o que acaba servindo como uma barreira ao uso dos demais modais.


-As nossas primeiras rodovias  datam do século XIX, mas a ampliação da malha rodoviária ocorreu no governo Vargas, com a criação do Departamento Nacional de Estradas de Rodagem (DNER) em 1937.

-É importante destacarmos queno ano de 1973 passou a vigorar o Plano Nacional de Viação, que modificou e definiu o sistema rodoviário federal.

•    -As dificuldades econômicas do país a partir do final da década de 1970 causaram uma progressiva degradação da rede rodoviária. A construção de novas estradas foi praticamente paralisada ou se manteve apenas sectorialmente e em ritmo muito lento e a manutenção deixou de obedecer a requisitos elementares.


Transporte Ferroviário


-Nossas primeiras iniciativas nacionais, relativas à construção de ferrovias remontam ao ano de 1828, quando o Governo Imperial autorizou por Carta de Lei a construção e exploração de estradas em geral. O propósito era a interligação das diversas regiões do País.

-Até a chegada das ferrovias no Brasil, o transporte terrestre de mercadorias se processava no lombo dos burros em estradas carroçáveis.

-É importante salientar que em São Paulo, as estradas de ferro foram decorrência natural das exportações agrícolas.

-Por outro lado, nossas rodovias e ferrovias tem sofrido um processo atualmente de desestatização devido a dificuldade do governo em mantê-las e explorá-las devidamente.

-Nossas ferrovias estao mal distribuídas em nosso país, como podemos constatar no mapa anterior.

Transporte hidroviário


     -Nossas hidrovias, uma alternativa sempre lembrada dadas as condições privilegiadas da rede fluvial nacional, pouco se desenvolveram. A navegação fluvial nunca foi bem aproveitada para o transporte de cargas. Em 1994, a malha hidroviária participava com apenas 1% do transporte de cargas.

-Podemos destacar que entre os fatos de maior repercussão no transporte marítimo no século XX destacam-se:a substituição do carvão pelo petróleo como combustível, porém, nosso país faz pouco uso desse tipo de transporte  estando em terceiro lugar em nossa matriz.

-Um dos motivos para essa situação consiste na falta de abertura de canais e interligação com outros modais.Nosso litoral é de 9.198 km e possui uma rede hidroviária enorme e ainda não explora adequadamente o transporte marítimo.É importante lembrarmos que a modal aquaviária é fundamental para promover e integrar o país interna e externamente. 

-Por outro lado, nossos rios também poderiam ser mais explorados nessa modal,afinal,são oito bacias com 48 mil km de rios navegáveis, reunindo, pelo menos, 16 hidrovias e 20 portos fluviais.

-Por fim, o transporte marítimo tem grande importância na exportação de
alimentos, minérios e madeira por seu alto volume de transporte.

Transporte Dutoviário


-Podemos entender que transporte dutoviário define-se como o transporte de granéis, por gravidade ou pressão mecânica, através de dutos adequadamente projetados à finalidade a que se destinam.

-O sistema dutoviário é um dos mais importantes modais de transporte. Para que possamos ter uma ideia, nos Estados Unidos ele representa quase 17% da matriz de transportes medida em tkm (tonelada-quilômetro). 

-No Brasil, está concentrado em poucas empresas e tem pequena participação relativa na matriz logística de transporte. Na verdade, ainda são muitas discutidas as principais características desse modal no que se refere às suas vantagens, desvantagens, produtos transportados, investimentos, custos e perspectivas. 

-O modal dutoviário é considerado o mais consistente e frequente de todos os modais. Isso ocorre porque a variância no tempo de transporte é mínima (maior consistência) e as dutovias funcionam 24 horas por dia (frequência). 

-Por outro lado, é o modal que apresenta menor velocidade, menor capacidade (uma vez que é muito especializado, transporta pequena variedade de produtos) e menor disponibilidade, afinal, está presente em poucas regiões. 


Transporte Aeroviário

-A aviação em nosso país teve início com um vôo de Edmond Plauchut, a 22 de Outubro de 1911. O aviador, que fora mecânico de Santos Dumont em Paris, decolou da praça Mauá, voou sobre a avenida Central e caiu no mar, de uma altura de 80 metros, ao chegar à Ilha do Governador. Era então bem grande o  entusiasmo pela aviação.

-Devido a grande extensão do país e a precariedade de outros meios de transporte fizeram com que a aviação comercial tivesse uma expansão excepcional no Brasil. Em 1960, o país tinha a maior rede comercial do mundo em volume de tráfego depois dos Estados Unidos.Nossa aviação comercial iniciou-se em 1927.

-Atualmente o nosso pais

 -O transporte aéreo tem importância pelo fato do Brasil ser um país
extenso, há vôos que podem durar mais de 4 horas ao se viajar
para cidades distantes.



Nenhum comentário:

Postar um comentário